quarta-feira, 30 de maio de 2012

"Não temos medo de onça, nós somos muitas onças"

 Por Ana Paula Marques


Foto: Lucas Dantas
Por voltas das 11h30 dessa quarta feira, 30 de maio de 2012, o Movimento dos Pequenos Agricultores - MPA - da zona rural de Vitória da Conquista declarou ocupada a agência do Banco do Brasil, localizada na Praça Barão do Rio Branco. Com gritos de guerra, faixas, bandeiras e violões, os camponeses reivindicavam uma solução para o endividamento e abertura de créditos para as famílias, abertura essa que, segundo os militantes, foi impedida há algum tempo pelo gerente do banco, Valdir Canguçu.  A ocupação também fez parte da Jornada Nacional de Luta Camponesa que está acontecendo em todo o Brasil até  de junho, na qual os camponeses estão realizando diversas intervenções com o objetivo de reafirmar o compromisso de luta com o campesinato e com os trabalhadores urbanos e principalmente cobrar ações do estado brasileiro para a garantia e fortalecimento da produção de alimentos no campo. Deste modo, gera-se renda para as famílias camponesas e o abastecimento para as famílias da cidade torna-se mais saudável.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Deixa o coração falar também

Por Mariana Kaoos e Rafael Flores

Foto: Rafael Flores

Vinícius era poetinha, embora odiasse que lhe chamassem dessa forma.  Sempre afirmou que o uísque era o melhor amigo do homem, “um cão engarrafado”. Teve inúmeros parceiros, dentre os mais conhecidos estão Tom Jobim (maestro de todos nós!) e Chico Buarque de Holanda. Era ciumentíssimo com suas músicas como, por exemplo, em “Gente Humilde” que assinou junto com Chico e Toquinho, mas, por ciúmes, não escreveu uma linha sequer. Casou-se sete vezes e foi apaixonado por todas as mulheres com quem viveu. Quando sentia que a paixão estava esvaindo-se, Vinicius ficava triste, melancólico, parava de escrever, parava de assobiar, dizia que “o amor é a coisa mais triste quando se desfaz”, mas logo se reerguia a procura de um novo sentimento. Justamente por essa e todas as outras características peculiares que lhes pertenciam, Vinícius de Moraes foi e ainda é uma das maiores referências na música e na poesia brasileira.

Eu quero ver quando Zumbi chegar!

Da Redação

“Dedicado as vítimas do Moinho, Pinheirinho, Cracolândia, Rio dos Macacos, Alcântara e todas as quebradas devastadas pela ganância, certo?”*

Mais um caso em que comunidades tradicionais são expulsas do seu local de origem pelo Estado Brasileiro. Na tarde desta segunda-feira, o Comando da Marinha do Brasil mediu forças covardemente contra o Quilombo Rio dos Macacos, localizado entre os municípios de Salvador e Simões Filho. A desapropriação estava marcada para março, mas na ocasião foi suspensa por ação da Presidência da República. Segundo informações de lideranças do quilombo, a Marinha está acampada no local e exige a saída imediata de alguns moradores.

#1 Ronda d'O Rebucetê - Vitrolada Cultural

O Xamparia Music Bar, localizado no centro da cidade de Vitória da Conquista, reúne um público que, além da cerveja, procura uma boa música e entre um gole e outro apreciam MPB. Além da sexta e do sábado, a quinta-feira passa a ser explorada pelo bar com a "Vitrolada Cultural", a qual tem como objetivo primordial mostrar que há sim música brasileira dançante com conteúdo.



domingo, 27 de maio de 2012

"Ela vai dançar"

Por Thaís Pimenta

Foto: Luíza Audaz
As pequenas mesas de madeira, típicas de barzinho, que em dias normais compõem o espaço de dentro do Xamparia Music Bar, naquela noite estavam desmontadas. Alocadas no canto da parede, abriam espaço para uma nova proposta de som alternativo, o "Vitrolada Cultural", um dos projetos da Miscelânea Produções Culturais. O espaço, geralmente destinado à voz e violão, cedeu lugar, nessa última quinta-feira (24), para uma banqueta usada como suporte para o notebook, uma mesa de áudio para discotecagem e um pequeno jogo de luzes ao chão. No comando dessa experiência sonora estava a apreciadora e estudiosa da música popular brasileira , Renas Barreto, idealizadora do projeto.

#24 Rebucetv - Nina Becker Indica


Durante sua passagem por Vitória da Conquista no Festival da Juventude, Nina Becker conversou conosco e deixou uma sugestão de leitura para os rebuceteiros de plantão! Nina está gestando duas produções inéditas ao lado do marido Marcelo Callado: o primeiro filho e o primeiro álbum juntos. O disco, que se chama "Gambito Budapeste", foi gravado de forma caseira e tem a produção de Carlos Eduardo Miranda. 


sexta-feira, 25 de maio de 2012

As mina, pá! - A ascensão das mulheres no rap


Por Ana Paula Marques

O hip hop emergiu na década de 70 nos subúrbios de Nova Iorque e chegou fortemente ao Brasil no final da década de 80, com grandes representantes como Racionais MC’s, Sabotage, Rappin Hood e Planet Hemp. O berço cultural do hip hop brasileiro foi o sudeste, mais precisamente a cidade de São Paulo. Desde seu auge, a cena sempre obteve um contexto muito masculino, com letras que trazem à tona a realidade do sistema, refletida na periferia. Em alguns casos específicos, podemos perceber letras extremamente misóginas, como por exemplo, letras antigas do rapper estadunidense Eminem e do alemão Bushido, que em um dos seus clipes mostrou mulheres torturadas até sangrar.

Dina Di, ícone feminino do rap. Foto: Google Imagens 
No auge dos anos 90, enquanto os homens predominavam na cena, surgia Dina Di. Mulher e branca,  foi parar na FEBEM após ter fugido de casa aos 13 anos. Seu pai morreu engasgado com um pedaço de carne e sua mãe foi assassinada dentro de casa, asfixiada com um pedaço de pano na garganta. Anos mais tarde, ela saiu de Campinas, no interior de São Paulo, para se dedicar ao rap, acreditando na força da sua mensagem. Transmitindo a visão de quem está atrás das grades invisíveis que separam o país da mulher pobre, ela conquistou respeito e destaque como líder do grupo “Visão de Rua”. Com o single “Periferia é o alvo”, realizaram vários shows pelo Brasil. A partir de 1998, o grupo lançou o primeiro álbum de nome “Herança do Vício”, seguido pelo “Ruas de Sangue”, “A Noiva do Thock” e “O Poder nas Mãos”. Ganhou duas premiações no Hutúz, maior festival de rap do país, na categoria “Melhores Grupos ou Artistas Solo Feminino da Década”. Morreu em 2010, aos 35 anos de idade, por negligência médica, após dar a luz a sua primeira filha, Aline e contrair uma infecção hospitalar. Morreu lutando.

quinta-feira, 24 de maio de 2012

#23 Rebucetv - Bicicletada Conquista

Durante o I Festival da Juventude, ciclistas se uniram pela paz no trânsito e organizaram a Bicicletada Conquista. Sinta um pouco como foi:



quarta-feira, 23 de maio de 2012

Slackline: Andar na corda bamba também é esporte!


Por Rafael Flores

Foto: Rafael Flores
Entre a manhã e a tardinha do último domingo, um espetáculo quase circense ocupou o Bosque da Paquera, local subutilizado da cidade nos últimos anos, sendo palco apenas para fotos clichês, piqueniques adolescentes, transgressões e contravenções sexuais. Dezenas de pessoas se equilibravam em fitas de nylon amarradas entre os troncos dos eucaliptos ao som do Psy Trance. Apesar do céu cinza, o ambiente estava colorido e repleto de crianças, rindo frouxamente daquela brincadeira maluca.

A brincadeira é, na verdade, um esporte chamado Slackline, iniciado em meados dos anos 80 nos campos de escalada do Vale de Yosemite, EUA. Quando estavam acampados, os atletas preenchiam o tempo vago esticando suas fitas de escalada para se equilibrar e caminhar.  Slackline  significa "linha folgada", podendo ser comparado ao cabo de aço usado por artistas circenses, com a diferença de que sua flexibilidade permite criar saltos e manobras inusitadas.  No domingo acontecia o I Encontro de Slackline de Vitória da Conquista, organizado pelo coletivo Macacos do Borel.

A Grande Fotografia

Por Lucas Oliveira Dantas

Está por toda a internet: o jornalismo brasileiro está chocado e indignado com a reportagem da jornalista baiana Mirella Cunha, para o programa “Brasil Urgente Bahia” [Rede Band], em que ela, não só assume a posição de juíza, como debocha e tripudia de um suspeito de crime sexual. Mirella quebrou ao menos uma dezena de itens de manuais de ética não só de imprensa e jornalismo, como de direitos humanos.

Mas, espera um pouco, Mirella?

A Band diz repudiar a atitude da (futura ex) funcionária, mas continua produzindo esse modelo tosco e doentio de jornalismo, que fetichiza a violência e reproduz preconceitos e discriminações. Mas, espera de novo, a Band?

Em sua coluna no site da Carta Capital, Matheus Pichonelli vai mais a fundo, lembrando que Mirella naturalmente não poderia se sentir constrangida com sua atitude diante da câmera, afinal ela tinha “carta branca da direção do programa, das autoridades que regulam a programação e dos órgãos que outorgaram o direito de levar ao ar o que seu comando bem entendesse.” Ele lembra que a tevê é uma concessão pública, portanto “ela só reproduziu a própria noção de justiça de um país que mal garante o direito de alguém se defender.”

terça-feira, 22 de maio de 2012

#22 Rebucetv - Entrevista com Juliana Ribeiro

Filha de Oxum, criada por Iemanjá, vinda das águas e com a baianidade latente, a cantora Juliana Ribeiro conversou com O Rebucetê minutos antes de apresentar o seu espetáculo Amarelo em Vitória da Conquista, no dia 20 de abril. Sorriso largo e olhar marcante, a cantora falou sobre a origem do samba, suas referência musicais e momentos importantes da sua carreira.




segunda-feira, 21 de maio de 2012

Isso é legal!

Mariana Kaoos

Xixi! Se essas manifestações populares, sejam elas paradas da diversidade, marcha da maconha, das vadias, das mulheres e assim por diante, pudessem ser traduzidas em apenas uma palavra, eu não hesitaria em coloca-la estampada em todos os lugares, xixi. Independente do cunho ideológico que está sendo pregado nessas manifestações específicas, o poder público (quando está de comum acordo com elas) e os organizadores desses eventos deveriam pensar mais na logística do xixi.

No dia 19 de maio, por exemplo, a III parada LGBTT de Vitória da Conquista contou com um público fixo de 200 pessoas, por volta de sete vendedores de cerveja acompanhando o trio (fora os bares ao longo do caminho) e entre quatro a seis banheiros químicos no ponto inicial do percurso. Ou seja, todos que estavam lá pela farra se embriagaram de cerveja, todos que estavam pela luta também beberam bastante e o resultado disso tudo foi aglomerados de pessoas em cada esquina, urinando na porta das casas alheias e deixando a cidade mais fedorenta (essa pessoa que vos fala se envergonha ao afirmar que também foi uma desses seres nas esquinas).

Sob o suor da negrura


Por Mariana Kaoos e Lucas Oliveira Dantas

Foto: Thaminy Brito
Com um nome que foi passado de geração em geração dentro da família e que remete aos primórdios da mitologia grega, Achiles Neto, quando criança, sempre participava dos desfiles cívicos referentes ao Sete de Setembro, o Dia da Independência do Brasil. Por conta da pele morena rosada e do cabelo de cuia (que possuía até então) ele sempre saia fantasiado de índio, representando assim uma parte da cultura que nos compõem e nos torna brasileiros.

Arquitetos, Designers e Decoradores expoem seus trabalhos na IV Mostra ArqDecor

Foto: Rafael Flores
Por Rafael Flores


A quarta mostra de aquitetura e decoração ArqDecor foi inaugurada na última sexta-feira, 18 de maio com um coquetel para a imprensa e convidados. Às 20h, horário marcado para o início do evento, tábuas de madeira ainda eram carregadas e de longe viam-se os últimos retoques serem dados e os últimos grãos de poeiras retirados dos ambientes decorados. A cerimônia de abertura começou apenas por volta das 22h, com a apresentação do coletivo ArqDecor através de um vídeo institucional.

O evento marca uma fase de intenso crescimento no setor da Construção Civil na cidade de Vitória da Conquista. Segundo dados da Agência Municipal de Desenvolvimento Trabalho e Renda - ADTR, o setor da Construção Civil é o segundo que mais emprega na cidade, perdendo apenas para o Comércio. Tal crescimento somado à criação do curso de Arquitetura e Urbanismo na Faculdade Independente do Nordeste – Fainor, profissionais da área passaram a circular e produzir mais na cidade.

domingo, 20 de maio de 2012

Vereadores, saiam do armário!

Por Murillo Nonato

Foto: Ramon Leite
“Vereador, sai do armário, políticas públicas para viado!”, foi bradando essa marcha que um grupo de cidadãos LGBT e simpatizantes subiram as escadas da câmara dos vereadores de Vitória da Conquista, localizada na Rua Zeferino Corrêa, nº 19, Centro, as 9 horas do dia 18 de maio. Com as cores do arco-íris, bandeira símbolo da militância homossexual em mãos, o grupo adentrou a sala principal onde estava ocorrendo uma sessão especial para discutir a criação de uma Unidade de Internação Provisória, a fim de protestar a ausência dos vereadores da casa na Audiência Pública referente ao Dia Municipal de Combate a Homofobia ocorrida na noite anterior e para clamar por políticas públicas para homossexuais na cidade.

O Rebucetê Entrevista: Karol Conká

 Por Ana Paula Marques


Foto: Rafael Flores
Karoline dos Santos Oliveira, mais conhecida como Karol Conká é curitibana e tem 25 anos. A MC fez uma rápida passagem por Vitória da Conquista para participar da Noite Fora do Eixo desta quinta-feira (17), evento produzido pelo Coletivo Suíça Bahiana, um dos pontos de articulação do Circuito Fora do Eixo na Bahia. 


Com um show bastante animado e uma fantástica presença de palco, Karol logo conquistou o público conquistense que também foi conferir a apresentação do grupo Complexo Ragga. Prestes a lançar seu álbum de estréia, chamado “Batuque Freak”, produzido pelo Nave Beatz, beatmaker também responsável pelos beats de nomes como Marcelo D2 e Emicida, ela conversou conosco sobre a ascensão das MC’s mulheres nessa cena, que segundo ela, já foi machista.


sábado, 19 de maio de 2012

Carta do coletivo "Sou Diversidade"

Carta lida na  Câmara dos Vereadores de Vitória da Conquista em 17 de maio de 2012, por representante do Coletivo "Sou Diversidade" em Audiência Pública referente ao Dia Municipal de Combate a Homofobia.

Ao fazermos uma retrospectiva do governo do PT, durante os oito anos da gestão do ex-presidente Lula, observamos que várias ações relacionadas à causa LGBT foram realizadas, tais como: estender o direito de declaração conjunta aos casais gays, inclusive para fins de direitos de renda; atender a uma reivindicação do movimento ao instituir o dia 17 de maio como o Dia Nacional de Combate a Homofobia e viabilizar a 1ª Conferência Nacional de Políticas Públicas e Direitos Humanos de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais – LGBT, realizada em 2008,  além de ter uma participação ativa nos debates relacionados a causa homossexual. Isso deixou claro que o governo estava disposto a manter um diálogo construtivo com a comunidade LGBT.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Diário de Bordo: Festival Sónar (Dia 1)

Por Ana Clara Rizério

Foto: Ana Clara Rizério
O Sónar - Festival Internacional de Música Avançada e Arte New Media - foi criado em 1994, em Barcelona, por três produtores que, devido ao enorme sucesso e formato inovador vêm sido realizado em outros lugares do mundo desde 2002.  O festival reúne entretenimento em forma de apresentações musicais, cinema e flertes com a arte New Media, a qual, de acordo à Wikipédia, é um gênero artístico que engloba trabalhos criados com e através do uso de novas mídias, como animação, computação gráfica, artes digitais, internet, etc.

Nos dias 11 e 12 de maio foi realizada a primeira edição do festival no Brasil (em São Paulo) e eu, como adepta da música eletrônica, fã dos festivais de música europeus e, principalmente, espectadora de novos artistas – que são sempre muito bem incentivados pela proposta do festival – não pude perder.  Comprei os ingressos, passagem, coloquei a mochila nas costas e “parti pra capital”.

quinta-feira, 17 de maio de 2012

O Rebucetê Entrevista: Vendo 147

Por Thaís Pimenta

Festival da Juventude/ Foto: Rafael Flores
A Vendo 147 é um quinteto formado por dois guitarristas, Pedro Itan e Eduardo Costa, um baixista Caio Parish, e na bateria Dimmy, o "Demolidor", e Glauco Neves. Uma composição quase normal de uma banda, exceto pelo Clone Drum, ideia que os baianos importaram da Suécia, que consiste basicamente em dois bateristas que tocam frente a frente, dividindo um mesmo bumbo. 


O diferencial da banda não para por aí. Se tratando de sua sonoridade, a Vendo 147 também traz ao seu som a incorporação da guitarra baiana. Uma banda que começou com um rock pesado, mas hoje tem influências de outras vertentes, como afirma o baterista Glauco: “somos uma banda independente porque trabalhamos em uma cena que não tem preconceitos”. 


Vitória da Conquista, no primeiro dia do Festival da Juventude, sediou a  segunda edição do projeto "Vendo 147 Convida". A banda trouxe à cidade o consagrado Pepeu Gomes, um dos maiores guitarrista do país que marcou a música popular brasileira, e ainda dois nomes da nova geração da MPB: Lucas Santtana e Nina Becker. Na oportunidade, a Vendo 147 conversou com O Rebucetê e falaram sobre o processo de autogestão da banda, sua sonoridade e como foi idealizado o show para o Festival da Juventude. A entrevista você confere agora:

quarta-feira, 16 de maio de 2012

Projeto "Leitura de Olhos Fechados - A Imagem Traduzida em Palavras"

O projeto "Leitura de Olhos Fechados" que está em sua segunda edição, começou na terça-feira (15/05) e se estenderá até amanhã (17/05). A proposta é promover mais informação e cultura aos deficientes visuais, por meio da audiodescrição, uma tecnologia ainda nova no Brasil, exibindo filmes brasileiros com esse recurso. A audiodescrição é um instrumento de inclusão cultural que irá contribuir para a formação crítica e para a educação da pessoa com deficiência visual, preparando-a para o exercício de sua cidadania. 

Também estão sendo realizadas oficinas, palestras e seminários, além das exibições de filmes com audiodescrição. As atividades estão acontecendo nas cidades de Vitória da Conquista e Jequié no Teatro Glauber Rocha e no Auditório Wally Salomão, respectivamente. O projeto é uma realização da Prefeitura Municipal de Vitória da Conquista em parceria com a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, co-realização da Casa de Cultura de Vitória da Conquista e com patrocínio da Oi, por meio do FazCultura. Mais informações no blog do projeto (http://www.leituradeolhosfechados.com.br/).



A música que ainda mete o dedo na ferida

Por Ana Paula Marques e Rafael Flores

Emicida no Festival Suíça Bahiana/ Foto: Rafael Flores
Os conteúdos presentes nas músicas brasileiras voltaram a ser caso de Polícia e de Justiça na última semana. O rapper paulista Emicida foi acusado de desacatar a autoridade dos policiais militares mineiros durante seu show no festival Palco Hip Hop em Belo Horizonte no último domingo (13/05).  Ao introduzir a música “Dedo na Ferida”, o rapper saudou os moradores da Eliana Silva, comunidade composta por mais de 300 famílias, localizada no mesmo bairro em que aconteceu o show e que foi expulsa pela Polícia Militar na sexta-feira (11/05). Ele ainda convidou o público a levantar o dedo do meio para protestar contra a instituição policial e a estrutura política do nosso país.

terça-feira, 15 de maio de 2012

#21 Rebucetv - Achiles: A Caixa de Pandora

Teaser do show de lançamento do cd "Pandora" de Achiles Neto. O lançamento irá acontecer na próxima sexta-feira (18/05) no Centro de Cultura Camilo de Jesus Lima, em Vitória da Conquista, a partir das 20h. Imperdível!

Realização: Pedrada Produções
Parceria: Plataforma de Comunicação Integrada O Rebucetê
Produção Audiovisual: O Rebucetê/ Pro Video UESB
Atriz: Daniela Lisboa



Terceira Parada do Orgulho LGBT de Vitória da Conquista

Entre os dias 17, 18 e 19 de maio, na cidade de Vitória da Conquista, acontecerá a Terceira Parada do Orgulho LGBT com a temática “Conquista sem homofobia”. O evento é uma iniciativa do Grupo de Mulheres Lésbicas- SAFO em parceria com entidades e movimentos sociais de combate à homofobia, sexismo e racismo e contará com palestras, debates e plenárias de apresentação de resultados das discussões realizadas, visando deliberar diretrizes para a formulação, acompanhamento e avaliação homofóbica. Se liguem na programação:

17 de maio

Pré Parada com Complexo Ragga (VCA) e Karol Conká (PR)
Local: Viela Sebo-Café
Horário: A partir das 20h

18 de maio 

Seminário com os palestrantes Hamilton Borges (Coordenador da campanha Reaja ou Será Morto), Prof. Dr. Marcos Lopes de Souza (Pesquisa em Gênero e Diversidade - UESB) e Marcelo Ferreira de Cerqueira (Coordenador Grupo Gay da Bahia)
Local: Auditório da Agência de Desenvolvimento (ADTR)
Horário: A partir das 17 h

*Após o seminário haverá um coquetel e show com Maiêh Sousa

19 de maio

Terceira Parada do Orgulho se Ser LGBT- “ Conquista sem homofobia”
Local: Concentração na Praça Guadalajara
Horário: A partir das 14 h
Atrações: DJ (a confirmar), Banda Suinga (SSA), Tabuleiro Musiquim (SSA) e Danillo Kiribamba (VCA)


video

segunda-feira, 14 de maio de 2012

Alice vai ao teatro

Por  Mariana Kaoos e Maria Eduarda Carvalho  

“Paris, 20 de outubro de 1848

Meu amor,

Sinto muito a tua falta. A cidade de Paris é linda, as luzes da cidade, as pessoas são tão amáveis. Essa é a torre Eiffel que lhe falei, é difícil acreditar que ela tenha sido construída por homens tamanha a sua grandiosidade.

Com amor, Alice

Ps: Lembranças a seu pai e sua mãe”

Quinta-feira, a iluminação impecável focou na atriz Shirley Ferreira que vestida de azul sobre uma pilha de malas que compunha o cenário, declamava entre a movimentação dos outros atores e o som marcante da francesa Édith Piáf o trecho acima.

Distante geográfica e históricamente do teatro francês marcado por Édith, o Centro de Cultura Camillo de Jesus Lima foi palco de Bagunçu, peça apresentada pela Companhia Operakata de Teatro. Noite fria para um Verão Cênico, mas que foi aquecida pela luz do candeeiro de Belinha, a personagem principal do enredo que tem sua vida transformada após encontrar alguns objetos da fazenda do Coronel Domingos de Oliveira, que foi invadida e saqueada num caso de vingança entre famílias.

domingo, 13 de maio de 2012

O dendê vai se perder, Iaiá


Por Mariana Kaoos


Para quem escuta distraidamente o primeiro álbum de Achiles Neto, Pandora, pode até soar como mais uma tentativa de rememorar as batidas do violão de João Gilberto, composições da bossa nova que falavam de barquinhos, peixinhos e amor. Triste engano. Achiles, que ao que tudo indica veio para ficar, proporciona ao público um trabalho consistente, autoral e totalmente diferente do que vem sendo feito na atual música popular brasileira. Suas melodias embora lembrem as do pai da Bossa, vêm como transgressoras, talvez por serem pouco utilizadas nos dias de hoje e por tamanha limpidez em cada nota tocada.

Seu parceiro no disco, Marcos Marinho, parece fazer milagre com o violão. Sabe inserir tons mais graves e clássicos, como na faixa “Cocoa”, que embora possua uma letra que conta uma  história de algo muito mais profundo, a sensação que me traz é de estar antigamente, na alta sociedade, dançando valsa em um baile qualquer, tamanha sua nobreza. A melodia da música tem um ar de nobreza como talvez eu só tenha visto em “Valsinha”, de Chico Buarque. Já as outras batidas admitem um tom mais despojado, deixando a vontade de sentar num bar, pedir uma cerveja e sorrir, observando a vida passar. Disso “João do BNH” (apesar da composição ferrenha) dá conta de forma total.

sábado, 12 de maio de 2012

Rebucetv no Festival da Juventude: Oficina "O Cinema de Quentin Tarantino"

A oficina "O Cinema de Quentin Tarantino" aconteceu durante o Festival da Juventude de Vitória da Conquista, no dia 06/05 e foi mediada por Marcelo Lopes e Luciana Oliveira. Confira:

sexta-feira, 11 de maio de 2012

Um festival para as juventudes. Todas as juventudes.

Por Murillo Nonato

No auditório II do Luizão, módulo acadêmico da Universidade Estadual Sudoeste da Bahia (UESB) encontravam-se vários profissionais da área da comunicação, psicologia, educação, representantes de entidades estudantis e jovens que representavam apenas a si mesmos (ou o interesse do que acreditavam ser o da coletividade) reunidos para debater políticas públicas para a juventude. A discussão fazia parte da programação do Festival da Juventude que ocorreu na cidade no último final de semana. Na parte mais elevada do recinto havia uma mesa onde se acomodavam os palestrantes convidados: Vladimir Pinheiro, coordenador Estadual da Juventude e Juremar Oliveira, presidente do Conselho Estadual da Juventude da Bahia.

quinta-feira, 10 de maio de 2012

O Rebucetê Entrevista: Fred Zero Quatro

Por Ana Paula Marques e Lucas Dantas

Fred 04/ Foto: Lucas Dantas
Vitória da Conquista, 6 de maio de 2011: depois de um fim de semana frio e “agaroado”, a noite estava pouco nublada, nos agraciando com uma lua cheia um pouco acima do palco do Festival da Juventude, onde Mundo Livre S/A acabara de tocar . A banda pernambucana, que veio pela primeira vez à “suíça bahiana” , é um ícone do Manguebeat, que apesar de seus precursores relativizarem o rótulo, ficou conhecido como “movimento” nos anos 90. Depois de meia hora de descanso, o vocalista Fred Zero Quatro, um dos idealizadores da cena, ao lado de Chico Science (vocalista da Nação Zumbi que morreu há quinze anos, vítima de um acidente de carro) e  redator do Manifesto Manguebeat, nos recebeu na nossa pequena sala de imprensa. Com seu discurso político bastante aguçado e notadamente bairrista, Zero Quatro falou do novo álbum, dos vinte anos do Manguebeat e sobre algumas questões as quais ele considera como “fios condutores” que dialogam com sua música.

terça-feira, 8 de maio de 2012

Meu amigo Pepeu


Por Mariana Kaoos e Rafael Flores

Pepeu Gomes/ Foto: Rafael Flores
Assobiando "Sexy Iemanjá", esperávamos nossa vez de entrar na pequenina e improvisada sala de imprensa. Fomos os últimos a entrar e logo encontramos um Pepeu Gomes sorridente e meio largado no sofá. Ele levantou para nos cumprimentar e logo fizemos questão de nos apresentar enquanto rebuceteiros e tietes. Pepeu deu gargalhadas ao saber do nome do nosso blog e comentou que seria legal um bloco de carnaval se chamar assim. Aos 60 anos, o velho novo baiano ainda preserva seus longos cabelos negros e o ar de peace and love.

Já dando início a entrevista, nós, rebuceteiros, prestamos atenção nos gestos que Pepeu fazia com os braços. Olhando para aquelas mãos brancas, com os dedos gordinhos e a unha pequena, mal dava para imaginar as artimanhas e truques que elas fazem ao pegar na guitarra ou no cavaquinho. Pepeu Gomes, que iniciou sua carreira através do grupo musical Novos Baianos, é hoje, um dos melhores guitarristas do Brasil (é, vamos deixar de modéstia, do mundo). De óculos escuros durante todo o papo, Pepeu não nos soltou “seu raio laser”, mas em compensação, falou de maneira despojada de si e da atual cena cultural do país.


segunda-feira, 7 de maio de 2012

Festival da Juventude debate políticas públicas para os jovens

Por Murillo Nonato


A Roda de Conversa Políticas Públicas para a Juventude, que fez parte da programação do Festival da Juventude de Vitória da Conquista, ocorreu no sábado (05/05) com atraso de 40 minutos com relação ao horário previsto (9 horas), no auditório II do módulo Antônio Luiz Santos, vulgo Luizão.  Os palestrantes convidados foram Vladimir Pinheiro, coordenador Estadual da Juventude e Juremar Oliveira, presidente do Conselho Estadual da Juventude da Bahia, e mediação da mesa foi realizada por Gildelson Felício, secretário Municipal da Cultura da cidade .

domingo, 6 de maio de 2012

#PósTv - #CoberturaFestivaldaJu

Diário de Bordo do Festival: Telefone sem fio

Foto: Rafael Flores

Por Rafael Flores

Discussões acaloradas sobre as mulheres em uma ponta do corredor, na outra mestres do audiovisual, teatro, comunicação e outras artes debatiam a democratização da cultura.  Eu corria com a câmera nervosa entre um auditório e outro para fazer a cobertura em tempo real nas redes. As conversas iam se misturando. O direito das mulheres negras de um lado, o direito da periferia em produzir, consumir e discutir cultura do outro. Machismo, audiovisual, luta, Glauber... Palavras se cruzavam na minha cabeça desconcentrada. Finalmente resolvi, por interesse no tema, me fixar na roda de conversas sobre democult. O cineasta Orlando Senna falava com afeto da criação do pólo regional de produção e distribuição audiovisual, quando foi surpreendido por batuques vindos do lado de fora. O som ficava mais forte, eram muitas vozes gritando coisas indecifráveis. "Acorda, seu machista a América Latina vai ser toda feminista", enfim consegui ouvir nitidamente.

Na Dança do Maxixe


Nossa geração sempre ouviu falar de gafieira, malandragem, chapeu panamá, danças sensuais e coladinhas, mas poucos de nós realmente sabemos a origem desse gênero do samba, que se apresentará com grande estilo no Festival da Juventude pela banda conquistense Gafieira Brasil.

Por Lucas Oliveira Dantas e Mariana Kaoos

Nos últimos dez anos, pelo menos, uma nova leva de artistas brasileiros tem reavivado a Música Popular Brasileira através de sua raiz mais famosa, o samba. Na Bahia, artistas como Marienne de Castro e Juliana Ribeiro resgatam a tradição do samba de roda do Recôncavo, enquanto que no Sudeste do país gente como Roberta Sá, Mariana Aydar e Diogo Nogueira reacendem a chama sambista nas rádios mainstream Brasil afora.

Por volta das décadas de 1950 e 1960, o Brasil exportou o samba para o mundo e a imagem do boêmio malandro carioca, que varava noites de bar em bar, bordéis e casas de gafieira. Esse jeito malandro tornou-se um ícone de brasilidade. É essa imagem glamurizada pela cultura de mídia que temos do samba. Mas a história é mais antiga.

As casas de gafieira, na verdade, surgiram pelo fim do século XIX, início do XX, sendo os lugares em que a classe trabalhadora e mais humilde do Rio de Janeiro frequentava para praticar danças de casal (ou “dança de salão”), mais especificamente o maxixe. Com o passar dos anos, o maxixe virou samba e as casas de gafieira se tornaram cada vez mais populares e famosas, tendo seu ápice cultural nas décadas de 1940 e 1950.

Nesses salões, repletos de casais sensuais e desenvoltos, o próprio samba foi se modificando, incorporando outros elementos provenientes da música caribenha (como instrumentos de sopro e percussão mais acelerada), dando origem a subgêneros como o “samba de gafieira”, o “samba de breque” e o “samba de telecoteco”, os quais têm como característica comum a famosa malandragem do carioca que tinha como objetivo paquerar.

sábado, 5 de maio de 2012

“Viva a cultura popular, viva o sertão”

Por Lucas Eduardo Dantas



Foto: Lucas Eduardo Dantas

Nesta manhã aconteceu mais um espaço de discussão do Festival da Juventude de Vitória da Conquista. Uma roda de conversa sobre Tradição e Cultura Popular, que contou com a participação de convidados ilustres como os poetas e repentistas Maviael Melo e Onildo Barbosa, além da presença da historiadora e Coordenadora da ONG Carreiro de Tropa, Maria Stella, tendo o Coordenador de Cultura e música Nagib Barroso como mediador do espaço.

Gata, Você É Massa

Por Mariana Kaoos

Foto: Purki
Depois de cinco meses de seca, finalmente garoava e fazia frio em Vitória da Conquista. Eu, ansiosa, esperava no corredor dos camarins ao fundo do palco armado na Praça Barão do Rio Branco a hora em que seria chamada para entrevistar Nina Becker. Chamaram e fui. Entrei na sala e lá estava ela: linda e grávida, de vestido preto, óculos escuros, unhas cor café e meias soquete de bolinhas. Sorriu para mim e a primeira coisa que pensei foi: “ela tem uns dentes parecidos com os meus”, o que foi ótimo, pois me fez relaxar um pouco mais e, de forma descontraída, poder conversar com ela.

O Rebucetê Entrevista: Isabela Silveira


Por Lucas Oliveira Dantas


Foto: Purki
O primeiro Festival da Juventude de Vitória da Conquista está sendo um espaço cultural para a cidade de diversas formas. Como parte da programação oficial, está acontecendo o “De Solos e Coletivos – Mini Festival Itinerante” realizado pelo Núcleo VAGAPARA, em parceria com o Coletivo Quitanda.


Na ativa há cinco anos, o VAGAPARA é um coletivo de artistas cênicos que atuam coletiva e colaborativamente. Suas atividades se desenvolvem nas áreas de dança, teatro, audiovisual, performance, além de outras linguagens, que são compartilhadas internamente ou em colaboração com artistas externos ao grupo, com o objetivo de explorar as capacidades e interesses particulares de cada integrante, mantendo-se sempre em atividade.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

O Rebucetê Entrevista: Lucas Santtana



Por Ana Paula Marques

Foto: Rafael Flores
Lucas Santtana lançou no final de fevereiro o seu novo álbum intitulado "O Deus Que Devasta Mas Também Cura". Esse novo trabalho possui uma sonoridade múltipla, contendo até mesmo samples de música clássica e vídeo-game, além de letras bastante descritivas e participações especiais, como dos cantores Céu e Curumin. É nesse ritmo que o baiano de Salvador vem se apresentar na primeira edição do Festival da Juventude de Vitória da Conquista, como convidado da também soteropolitana Vendo 147. Além dele, os músicos Nina Becker e Pepeu Gomes também farão uma participação especial no show.  No backstage do evento, um pouco antes da passagem de som, Lucas nos recebeu e contou algumas curiosidades sobre o novo trabalho. Confiram!

O Rebucetê Entrevista: Leonardo Boff

Por Mariana Kaoos e Rafael Flores

Foto:Rafael Flores
Discutíamos as perguntas, enquanto o Salão Nobre do Gabinete Civil da Prefeitura era arrumado para a coletiva de imprensa. Estávamos ansiosos por nossa primeira entrevista durante a programação do Festival da Juventude e já nervosos com a demora na chegada do entrevistado.  Depois de ‘tremiliques’ nas pernas e troca de olhares, vimos um senhor barbudo adentrar a sala. Com uma voz quase santa, Leonardo Boff cumprimentou a todos no ambiente, comentou sobre o arranjo de flores amarelas e se sentou ao lado do vice-prefeito. Sua sutileza acalmou nosso ânimos.

Leonardo Boff é um dos principais teólogos brasileiros, com prestígio e autoridade mundial , carregando no currículo passagens pelos porões do Vaticano. Boff tem mais de 60 livros publicados nas áreas de Teologia, Ecologia, Filosofia, Antropologia e Mística. A sustentabilidade e outras questões ambientais têm sido o alvo principal dos estudos do ex-frei católico nos últimos anos e foi sobre isso que conversamos nesta manhã.

O Rebucetê Entrevista: Ladrões de Vinil

Por Ana Paula Marques

Ladrões de Vinil no Festival Grito Rock Conquista 2012/
Foto: Rafael Flores
A Ladrões de Vinil tem 6 anos de estrada e vem se consolidando como uma das principais bandas do cenário rock de Vitória da Conquista. A banda, com sua pega rock a billy, conquistou um fiel público e possui em seu histórico shows em vários festivais dentro e fora da Bahia, dividindo o palco com grandes nomes do underground, como a Vendo 147 e Autoramas. Em processo de gravação do primeiro álbum, os integrantes Lôro (guitarra e vocal), Diego (baixo) e Goma (bateria) trocaram uma ideia com O Rebucetê para contar a quantas andam a expectativa do grupo que vai se apresentar na primeira edição do Festival da Juventude de Vitória da Conquista. Os ladrões se apresentam hoje, 4 de maio, na praça Barão do Rio Branco.

quinta-feira, 3 de maio de 2012

"Ao som do raggamuffin a noitada nunca perde a graça”

Por Mariana Kaoos

Complexo Ragga e Loro Vodoo/Foto: Rafael Flores
Era início de noite em Vitória da Conquista de um domingo embreagado. Lembro como se fosse hoje que paramos o carro numa casa de grade, no Bairro Brasil, para tomar mais uma cerveja e ouvir um novo som que uns meninos descolados estavam fazendo por aí. A minha primeira reação ao entrar na casa foi ir correndo para o banheiro fazer xixi e, de lá, nasceu para os meus ouvidos um rap meio cortado, com umas rimas sobre a realidade local e uma batida que inconscientemente dava vontade de mexer a bunda. Nessa mesma noite, as conversas foram rápidas e a cerveja pouca, pois logo mais eles estariam indo para a sua primeira entrevista, numa rádio local.

quarta-feira, 2 de maio de 2012

#19 Rebucetv - Lucas Santtana no Festival da Juventude

Lucas Santtana é uma das atrações convidadas para participar do show da banda soteropolitana Vendo 147, juntamente com Pepeu Gomes e Nina Becker. A apresentação faz parte da programação cultural do 1° Festival da Juventude de Vitória da Conquista e irá acontecer no dia 04/05 na Praça Barão do Rio Branco. Imperdível! #CoberturaFestivaldaJu




Núcleo Vagapara apresenta: De Solos e Coletivos - MiniFestival Intinerante


O Núcleo Vagapara, coletivo de artistas cênicos que atuam coletiva e colaborativamente desde 2007 em Salvador, apresenta em Vitória da Conquista o "De Solos e Coletivos – Mini Festival Itinerante", em parceria com o Coletivo Quitanda. O MiniFestival é a celebração dos encontros afetivo-colaborativos entre agrupamentos de artistas de diferentes linguagens que desenvolvem trabalhos solos. Com o apoio da FUNARTE, através do edital de circulação de espetáculos de dança, o grupo irá percorrer as cidades baianas de Jequié e Vitória da Conquista, em maio de 2012, além de Maceió, Aracaju e Laranjeiras em julho e agosto desse ano. A programação fará parte do 1° Festival da Juventude de Vitória da Conquista, que acontece no próximo fim de semana, entre os dias 04 e 06 de maio. Confira a grade de apresentações:

terça-feira, 1 de maio de 2012

Rebucetv no Festival da Juventude: Toda maneira de amor vale a pena


"Juventude e População LGBT" será o tema de uma das dez rodas de conversa presentes no Festival da Juventude de Vitória da Conquista - Bahia. A mesa acontece às 9h do domingo, dia 6, e contará com a presença de Vinícius Alves, integrante da juventude ABGLT, Ricardo Henrique Andrade, professor da UFRB e Keila Simpson, presidente do Conselho Nacional LGBT. O Rebucetê é contra e qualquer tipo de preconceito e atenta para a importância deste espaço. Fiquem atentos na #CoberturaFestivaldaJu n'O Rebucetê!