segunda-feira, 25 de junho de 2012

O Teatro Mágico em Conquista

Assessoria/ Agência Vocevê



Foto: Divulgação

Circo, teatro, poesia, música e literatura. A vontade de fazer um sarau amplificado fez nascer O Teatro Mágico, projeto idealizado pelo músico e ator Fernando Anitelli em 2003, em Osasco, São Paulo. Do best seller "O Lobo da Estepe", do autor alemão Hermann Hesse, surgiu a inspiração para o nome da companhia musical que celebra oito anos de trabalho, com mais de 400 mil CDs vendidos e 120 mil cópias de DVDs comercializados, números expressivos para um grupo que sempre foi comprometido com a defesa do livre compartilhamento de músicas via internet. E os números não param por aí: são mais de seis milhões de downloads de obras da trupe, milhões de views no YouTube e incontáveis seguidores nas redes sociais.

Secos & Molhados, Legião Urbana, Chico Science, Zeca Baleiro e Raul Seixas são algumas sonoridades que fazem eco nas composições pop do grupo que sempre buscou a mistura de timbres e estilos diferentes para fazer a mágica da música acontecer. Com um extenso currículo de participação nos principais festivais de música do país e nos mais importantes programas da mídia nacional, Vitória da Conquista recebe, pela terceira vez, O Teatro Mágico para mais um emocionante espetáculo de luz, cores, malabares e fantasias. A trupe fará uma apresentação única, dia 30 de junho, às 20h, no Centro de Convenções Divaldo Franco.
 



Os ingressos custam R$ 50 (inteira) e R$ 25 (meia) e estão sendo vendidos na Le Petit, Banca Central, cantina da Fainor, Wizard e Central de Ingressos (Panvicon Center e Shopping Conquista Sul). A banda Dr. Imbira, de Ilhéus, está escalada para abrir o evento com um especial Raul Seixas. A realização do evento é da Le Petit e o limite de idade para a entrada é de 10 anos, com acompanhamento de um responsável.

Uma trilogia mágica


Na trilha do sucesso, O Teatro Mágico lançou, em 2003, Entrada para Raros, com 19 faixas, com destaque para as canções “Ana e o Mar”, “Camarada D'Água” e “Zazulejo”. A continuação do projeto foi garantida com O Segundo Ato (2008), CD que segue encantando o público com letras, ruídos e ritmos peculiares à companhia musical.
Para completar a trilogia, 
A Sociedade do Espetáculo foi lançado em 2011, coroando o amadurecimento musical da banda. Pop moderno, sofisticado e fundamentalmente brasileiro é o diferencial dessa nova obra, capaz de reunir elementos da música internacional com a forte brasilidade de Milton Nascimento e o Clube da Esquina, passando pela guarânia gaúcha, sem deixar de lado a essência do projeto original. O novo trabalho conta com a produção de Daniel Santiago, integrante da banda e parceiro de Hamilton de Hollanda, músicos entre os principais expoentes da música instrumental contemporânea brasileira.

0 comentários:

Postar um comentário